quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Desigualdade entre pseudo-pares

O dia apresentava-se estival como se teimasse em enganar os demais de que o Verão ainda não acabou e, desta feita, optei por tomar o meu café e a minha torrada noutro local que não o costumeiro. No percurso deparei-me com novos cartazes por todas as freguesias onde finalmente fazem a aparição os candidatos ditos independentes de certa associação às juntas de freguesia.
Depois da surpresa de algumas caras pouco familiares, veio a estranhesa da concepção desta propaganda política em que surge um candidato à respectiva freguesia atrás da figura daquele de quem não se pode falar e que numa faixa de boletim de voto vem "Narciso"escrito como se esse fosse o nome de todos os candidatos às juntas.
O café já esfriara um pouco e as torradas pingavam já aquela manteiga gulosa que não consigo largar e dei por mim a tentar perceber como é possível que gente supostamente inteligente (comandar uma junta de freguesia não será para lorpas) se deixe tratar não como um igual entre pares mas como subordinado de um narcísico aspirante a todo-poderoso, nas suas costas e em pose de submissão. Será que vale a pena esta inferiorização publicada em imagem pelo tacho ou benesse prometida???
Inspirei os últimos vapores quentes da minha dose subversiva de cafeína e percebi que para alguns a submissão deve ser maior que para outros, exemplo prático o de um pseudo sabedor da tabuada que em certo cartaz aparece da mesma estatura de um iletrado quase analfabeto... Se calhar a prática de determinado desporto fez crescer a estatura do segundo para perto do tamanho do seu ego!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário